Ano 2010

   2010 XX CONGRESSO DA UNIÃO EUROPEIA DE PÁRA-QUEDISTAS

           Desde a sua criação a U.E.P. celebra uma conferência anual organizada rotativamente por cada um dos seus membros. Este ano o país anfitrião foi o Chipre e o tema aprovado no Congresso anterior tratava de estudar e por em comum as forças, debilidades, oportunidades e ameaças que possam afetar atualmente a U.E.P.          

A associação de veteranos pára-quedistas de Chipre foi responsável pela organização do Congresso com o apoio das autoridades do Ministério da defesa, do próprio Ministro em chefe dos comandos especiais e por prefeitos e entidades territoriais dos locais que foram visitados.

           A delegação de FENASVPE foi formada pelo seu Presidente, Tte. General Alaman, comandante Valderrama (equipa de trabalho com a UEP e intérprete), Capitão Garcia Montes Presidente da ASVEPA-Sevilha e O Cabo Romero da ASVEPA-MURCIA.

O alojamento e as reuniões das delegações de 4 a 8 de outubro, foram num hotel em Larnaca, alternando com visitas culturais e conferências de interesse político-militar onde se manifestava a preocupação pela parte invadida da ilha pela Turquia, enquanto se manifestava  fortemente a força da sua União Nacional ante  tal agressão, para repetidamente pediram apoio internacional e especialmente, nessa ocasião, ás nações membros da U.E.P. por intermédio de seus veteranos pára-quedistas.

Nas sucessivas sessões do Congresso, as várias representações nacionais foram expondo seus pontos de vista sobre os pontos levantados como objecto de tratamento em si, escrevendo no final do documento com as conclusões aceitas pela maioria, e que eles vão ser no futuro o que guia as atividades a serem executadas pela U.E.P.

Estas conclusões são resumidas como segue:

         -A força que mantém a U.E.P. manifesta-se pela unanimidade de todos os membros e pelos seus seus 20 anos de existência, o que faz uma associação credível que mantém atividades regulares e tem uma organização e estruturas que demonstram a sua capacidade, dentro da Europa, excluindo todos os aspectos da ideologia filosófica, religiosa e política.

  Em sua vocação federativa  a UEP transmite valores como o espírito pára-quedista, o sentido de honra, dever e solidariedade, apesar das diferenças históricas e militares dos países que a compõem.

        Colaborou na construção de uma Europa unida em um mundo livre.

        Durante os seus congressos permite desenvolver certos tópicos de discussão e aprender sobre os países e exércitos dos seus membros, bem como as organização de campeonatos desportivos de pára-quedismo.

         -FRAQUEZAS da UEP, opinião unânime, foram os seguintes:          

       . A U.E.P. é pouco conhecida nos países membros e nos outros europeus.

       . Informação e promoção não é suficientemente desenvolvido. Carece de um escritório central, website e um boletim informativo.

       . O custo da organização dos Congressos é muito caro.

       . Não existem outras atividades comuns fora da conferência e competições  anuais.

       . Desde 2006 que não foram incorporados novos membros.

       Referido por um dos membros:

       . Os campeonatos são caros e faltam de interesse.

       . Não há nenhum contato com outras associações não pára-quedistas.

       . Falta uma estratégia comum da U.E.P.

       . Certas decisões não são executados.

       . As diferenças entre países são grandes.   

 

OPORTUNIDADES, estimadas por todos:

       . Aumentar o número de membros, ter contatos com a Rússia, Inglaterra e Holanda.

       . Possibilidade de participar de cerimônias e paradas militares de todos os países.

       . Possibilidade de transmitir a sua experiência nas unidades de pára-quedistas e auxiliar no recrutamento

 

. Possibilidade de participar em desportos e competições civis e militares.

      -AMEAÇAS:

        . Diminuição ou desaparecimento das unidades pára-quedistas dificulta  a renovação das associações de veteranos e o recrutamento de jovens para as mesmas, por conseguinte, aumenta a idade de seus membros.

        . A crise econômica atual impõe limitações.

        . Após duas décadas de existência, baixa auto satisfação.

        . A perda de alguns dos membros atuais seria insatisfatória.

           A atmosfera geral de falta de disciplina, espírito antimilitarista e a existência de outras organizações com objetivos similares..

 

.      -PROPOSTAS:

        . Aumentar as actividades entre associações de vários membros para facilitar a proximidade geográfica.

        . Ser reconhecido pela OTAN e a UE.

        . Criar um site com informações trimestrais.

        . Aprovar o tema de cada congresso no Congresso anterior.

        . Organize uma  grande assembleia de dois dias em 2012.

        . Reconsiderar a competição de pára-quedismo.

        . Apresentação de membros honorários.

        . Organizar uma demonstração em memória da Operação de Creta operação em 2011 com a possibilidade de saltar em Maléeme (Grécia).

 

 -CONCLUSÕES FINAIS:

        . A associação U.E.P. permite ter contatos com veteranos das prestigiadas unidades dos vários países membros, todos com experiências de guerra nos principais teatros da II GM. O seu espírito interior e reconhecimento externo de seus exércitos e nações, torna um fórum muito interessante para FENASVPE.

         .O próximo congresso  anual será organizado pela Polónia e em 2012 caberá à Espanha a sua organização. Isso significa que, durante o ano de 2011, o Presidente da Associação Polonesa será o presidente executivo da U.E.P. e Espanha assumirá a Vice-Presidência e a Presidência Executiva em 2012, quando deve organizar o Congresso em outubro, e nessa altura levará a proposta correspondente.